Não há mocinhos ou vilões na derrocada do MegaUpload

Ícone do MegaUpload.Os eventos desencadeados pelo fechamento do MegaUpload e demais sites do grupo de Kim Dotcom mostram que, como em quase tudo na vida, não existe preto no branco, mas sim uma vasta escala de cinza.

Relembrando, no final da tarde de hoje o FBI deflagrou uma enorme operação que simultaneamente tirou do ar MegaUpload, MegaVideo e outros sites “Mega”, todos baseados no envio de arquivos pelos usuários e, dessa forma, fortemente ligados à pirataria. Não só: a ação coordenada internacional prendeu e apreendeu todos e tudo relacionado aos empreendimentos, principalmente na Nova Zelândia, país onde Dotcom vivia numa mansão caríssima — segundo o Giz, alugada porque o rapaz não pode comprá-la devido a problemas legais.

O caso ainda está longe do final, mas os desdobramentos derivados dele já valem um texto. O timing não poderia ser melhor (ou pior, dependendo do ponto de vista). Na semana em que o SOPA/PIPA, projetos de lei do Congresso norte americano fortemente embasado por figurões e lobbystas da RIAA e MPAA, ganhou as manchetes e o repúdio do mundo, há um impulso quase que natural em associar as duas situações.

Mas, teria o fechamento do MegaUpload algo a ver com o SOPA/PIPA?

O lado “B” do MegaUpload

Seria ingenuidade, de minha parte, tirar do MegaUpload o caráter pirata. Está aí, há anos, como está evidente que outros sites do gênero, como o 4Shared, são antros de arquivos ilegais. Não é preciso ser um gênio, um investigador, para tanto, e a denúncia do FBI embasa tudo isso — os caras sabiam que o site era um depósito de pirataria e ganhavam muita grana gasta em carros de luxo, TVs gigantes e estátuas do Predador (!?), com isso. Em sua defesa, o fundador Dotcom diz que seu site sempre respondeu prontamente a denúncias de pirataria removendo os arquivos solicitados sob a DMCA, legislação norte americana que protege os direitos autorais, e mais, que a maior parte do conteúdo hospedado lá é legal. Difícil comprar essa. Certo, porém, é que  o MegaUpload se preparava para cortar o intermediário na indústria fonográfica.

Do novo CEO, o rapper, produtor e ganhador do Grammy Swizz Beatz, a intérpretes e compositores famosos nos EUA, muita gente de peso e sucesso estava a favor do MegaUpload. O site preparava o lançamento do Megabox, segundo o TorrentFreak, “um site que em breve permitiria a artistas venderem suas criações diretamente aos consumidores”. O site? Caiu, junto com 17 outros domínios relacionados.

E é aqui que a coisa fica… acinzentada. O vídeo acima, com diversos artistas manifestando expressamente seu apoio ao “vilão” MegaUpload, foi alvo de ataques promovidos pelo Universal Music Group, que tratou de tirá-lo do ar de onde e como pode. Nisso, o MegaUpload foi à justiça, nos Estados Unidos, pedir explicações e tentar salvar a peça. No mínimo, tal movimentação deve ter enfurecido muita gente da RIAA, que já não devia estar muito contente com a ação do site, um dos mais visitados do mundo.

Quem tem o osso não quer largá-lo e quem controla a indústria da música nos EUA está vendo o seu ser tomado na marra, faz tempo. Por que não tiraram o MegaUpload antes? Por que outros sites sabidamente piratas não foram afetados? Teria o Megabox algo a ver com essa investida violenta? A ida à justiça para cobrar explicações sobre a caça às bruxas feita à Mega Song? Outro site a receber ataques da Universal é o Grooveshark, também fortemente baseado na pirataria, mas ao mesmo tempo dono de um sistema de promoção de cantores novatos interessante. Mera coincidência apenas os dois estarem na mira da gravadora?

Derrubaram algo perigoso para o modelo tradicional e confortável — só aos executivos das gravadoras — antes dele nascer e, talvez mais importante, decretaram um precedente para sites de hospedagem e compartilhamento de arquivos do gênero, o sistema que praticamente sucedeu o peer-to-peer clássico (Napster, KaZaA, eMule) na disseminação de arquivos ilegais via Internet. Spotify e outros serviços de streaming mostram que é possível lucrar dentro da lei com música digital barata, gratuita até, mas eles têm suas restrições, muitas perto do “baixar e descompactar” oferecido por MegaUpload e similares.

Anonymous e a #opmegaupload

O Anonymous chegou atropelando tudo, derrubando sites da MPAA, RIAA, FBI, Departamento de Justiça americano, prometendo que a #opmegaupload será a maior operação da história do grupo.

A princípio torci o nariz para o posicionamento do grupo, que sempre defendeu ideais nobres ainda que por meios questionáveis. “Sair em defesa de possíveis criminosos?”, pensei comigo. Nada como a boa e velha pesquisa para mostrar que, mais uma vez, não há uma divisão clara de mocinhos e vilões. Em paralelo, o MegaUpload está voltando pelo endereço megavideo.bz. O TLD .bz é de Belize, um minúsculo país da América Central.

O clima é de incerteza, os protestos anti-censura ganham força e, como todo protesto que importa, já extrapola a web, já está nas ruas. Mudanças profundas podem ocorrer depois que a poeira baixar, os ânimos se acalmarem e justiça for feita — e há de ser feita; não é a culpabilidade do MegaUpload que está em discussões, mas sim os motivos, reais e/ou colaterais, que levaram as autoridades às ações desencadeadas hoje. Ou isso, ou, e não descarte mesmo essa probabilidade, uma mini-revolução eclodir na forma como se consome conteúdo de entretenimento. A cada nova notícia, tendo mais a acreditar na segunda opção.

Marcados com: , , , , , , , ,
Publicado em Notícias
16 comentários sobre “Não há mocinhos ou vilões na derrocada do MegaUpload
  1. Marcos A. S. Almeida disse:

    Legal Ghedin! Vejo que você está tão empolgado com os desdobramentos quanto eu!Só espero que a grande imprensa se aprofunde no assunto com a devida competência e isenção.Senão só nos sobrará blogs como o Gemind.

  2. Ei, Ghedin vai dormir! kkk
    Ae tem algum link pro evento que está ocorrendo na BBC agora?

  3. Marcos A. S. Almeida disse:

    Posso linkar este post em outros blogs e sites? Muitos querem e têm de saber os bastidores e motivações desta “batalha”.

    • Não pode, deve!

      Serião! Compartilhar os posts do Gemind, citá-los/linká-los em redes sociais e outros blogs, esse tipo de ação é a coisa mais fácil e benéfica que os leitores podem fazer pelo site.

      Vai fundo, a gente agradece do fundo do coração ;-)

      []‘s!

  4. Ótimo post Guedin!

    Assunto serio o bastante para valer um post no meio da madrugada!

  5. Ligeirinho disse:

    Todos estão errados no mundo dos certos. Todos estão certos no mundo dos errados. Ninguém está certo, nem errado. Apenas são bilhões de pessoas brigando por interesses conflitantes…

    Para mim, se o SOPA vingar ou não, sei lá. Se o MegaUpload voltar, também sei lá. Não nego que já fiz uso do sistema de arquivos deles. Mas como eu já disse em um outro comentário, sei também que no final estou não colaborando pois alguém está realmente perdendo com isso.

    No final todos estão brigando ao invés de chegar em consensos. E opa, olha só, o consenso está embaixo dos nossos narizes! E não o vemos!

  6. Ae tem algum link pro evento que está ocorrendo na BBC agora?

  7. Tá rolando a Terceira Guerra Mundial #anonymous X #EUA

  8. e soh pra contar…. desde da 0h o link megavideo.bz tambem esta fora do ar!

  9. Kadu disse:

    Dá pra acreditar que o Megaupload removia os arquivos relatados como propriedade intelectual, porque eu já cai em vários links quebrados por infrigir leis autorais (claro que estes “vários links” não são nada perto da imensidão de arquivos que eram hospedados no site).

    • tvseriesusa disse:

      Na verdade eles NÃO removem arquivos, mas apenas os links expressamente pedidos para serem removidos. Por exemplo: voce pede para remover o link L1 do filme XPTO, eles removem. Mas permanecem por lá os links L2, L3, L4, L5… ou seja, o site repassa a voce o trabalho de descobrir todos os links e fazer pedidos para cada um deles…

      Isso é bem diferente da maneira como sites como o Google trabalham, onde voce pede para remover o video XPTO e o Google efetivamenre remove todos os XPTO que ele for capaz de encontrar…

  10. GabrielZiks disse:

    Essa música que fizeram do Megaupload é muito grudenta.

  11. Flavio Freitas disse:

    Parabéns, Rodrigo.
    Já vi esse post sendo linkado em algumas listas por aí!